Buscar
  • Priscila Raso

Alimentação e tabagismo


O tabagismo é um vício com intensa disseminação e é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a maior causa isolada e evitável de doenças e mortes no mundo. O hábito de fumar não traz prejuízos somente à saúde, mas também para a família, meio ambiente e para o bolso. A fumaça do cigarro possui cerca de 7.000 elementos químicos, sendo que alguns desses são altamente cancerígenos.

O fumo acarreta em sérias consequências no processo digestivo, já que ocasiona alterações na boca, nariz e mucosa do estômago. Os agentes químicos presentes no cigarro atuam como irritantes na mucosa bucal, deixando-a ressecada e provocando o aumento da camada de queratina. O fumo também promove alterações nas papilas gustativas (responsáveis por receberem o paladar), o que impede que o fumante sinta o real sabor dos alimentos. É prejudicial também para a mucosa olfativa, já que o efeito térmico do cigarro pode levar a lesões, alterando também o olfato. Além de todos esses fatores, o tabagismo pode levar ao aparecimento de úlceras gástricas e intestinais.

O fumante, normalmente modifica seus hábitos alimentares, em função da redução do olfato e do paladar, o que o fazem consumir menos vegetais e frutas e aumentar o consumo de sal para realçar o sabor das preparações. Hábitos alimentares inadequados são comuns entre tabagistas; os principais são: frequente consumo de café, bebidas alcoólicas e balas e chicletes até pra tentarem diminuir o odor proveniente do fumo.

Uma boa alimentação equilibrada é fundamental para o bom funcionamento do organismo. Alimentos que contém nutrientes antioxidantes e desintoxicantes exercem funções de grande importância e devem ser incluídos nos hábitos alimentares. Os antioxidantes protegem as células da ação danosa dos radicais livres, produzidos pelo fumo. Já os alimentos com ação desintoxicante, favorecem a eliminação de toxinas, impedindo o seu acúmulo no organismo.

Mas, o que incluir na alimentação?

  • Licopeno, pois além de combater o envelhecimento das células, estimula o sistema imune. As melhores fontes são o tomate, a melancia e a goiaba.

  • Sulfarofanos, que são substâncias capazes de promover a eliminação de substâncias tóxicas do organismo. Podem ser obtidos através do consumo de vegetais crucíferos como brócolis, couve-flor e repolho.

  • Resveratrol que é um potente antioxidante fenólico que atua no combate aos radicais livres. Está presente nas uvas, suco de uva e no vinho tinto, também.

  • Epicatequinas, presentes no chocolate amargo (70% cacau, pelo menos), apresentam ação antioxidante.

  • Vitamina C (ou ácido ascórbico) presente nas frutas cítricas como laranja, limão, acerola, tangerina também apresentam ação antioxidante.

  • Flavonóides e ação antioxidante presentes nos chás verde e branco obtidos da Camellia sinensis;

  • Complexo B presentes nos cereais integrais, como arroz integral e os minerais zinco e magnésio encontrados na semente de abóbora, castanha de caju, nozes e pistache também auxiliam na proteção das células contra os radicais livres.

  • O alho oferece antioxidantes como a aliina e alicina.

  • Cúrcuma, também conhecida como açafrão, utilizada em preparações, fornece a curcumina que é um potente antioxidante.

#alimentaçãoecigarro #nutriçãoetabagismo #tabagismoenutrição #cigarroealimentação

35 visualizações

SÃO PAULO

Rua Cubatão, 436 - 7º andar Cj. 72 - Metrô Paraíso.

Nutricionista
CRN 48716

  • whatsapp-1
  • msfnwjkn
  • Instagram ícone social
  • Facebook Social Icon
  • Twitter ícone social
  • LinkedIn Social Icon

©2020 por Priscila Raso. Todos os direitos reservados.